Blog

Skol Sensation inova e surpreende os sentidos do público

A quinta edição do Skol Sensation vai transportar o público para uma jornadaque promete conectar milhares de pessoas em uma mesma energia e despertar os sentidos com uma produção jamais vista em um evento no Brasil.

Com o tema “Innerspace”, essa noite épica acontecerá noPavilhão de Exposições do Anhembi, no dia 15/06, e levará as 40 mil pessoas vestidas de branco a terem uma nova e incrível experiência, ainda mais moderna e inovadora.

Uma Flor de Lótus, materializada no palco central, e sete momentos hipnotizantes programados para acontecerem ao longo da noite, representarão os chakras da energia de cada um, elemento que permeia todo o conceito do espetáculo.

Além do palco com dez metros de altura que contará com pétalas iluminadas gigantes, a estrutura do evento é composta também por elementos móveis: um sistema com 170 bolas retroiluminadas penduradas no teto que descem até a altura do público e sobem novamente por diversas vezes, em um balé coreografado com os diferentes momentos do show.

A megacenografia montada nos 80 mil m² cobertos do Anhembi veio diretamente da Holanda. As performances feitas por dançarinas voltam repaginadas para essa edição, com coreografias aéreas e muitos efeitos especiais.

“O Skol Sensation sempre foi reconhecido por ser uma ocasião diferenciada deentretenimento, performances, música eletrônica, cenografia e luz. Para esta edição, estes elementos estão ainda mais alucinantes. O nosso objetivo é oferecer ao público uma experiência completa de entretenimento, uma festa inesquecível, que mostre uma forma diferente de ver o mundo, conta Fábio Baracho, diretor de marketing da Skol.

Michael Hekking, diretor comercial e de marketing global do Sensation, fala sobre a temática do edição: “Com o tema deste ano, vamos reforçar a importância da conectividade, do curtir e sentir junto. Será uma jornada fantástica”, explica.

Para esta edição, o Skol Sensation preparou grandes novidades. Como iniciativa nunca realizada no Brasil, a festa irá começar antes mesmo do primeiro DJ subir à cabine no Anhembi.

Para isso, será realizado um warm-up em quatro estações do metrô. Antecipando a energia da festa, o espaço estará customizado e receberá elementos característicos do evento, além de muita música eletrônica de diferentes estilos. E não para por aí.

Serão instalados detectores Skol Sensation em forma de portal, logo após as catracas na Estação Tietê. Ao passar por eles, as pessoas deverão apertar um botão. Uma luz verde e uma vermelha irão se acender alternadamente e se a luz verde permanecer acesa a pessoa será premiada, junto a um de seus acompanhantes, com upgrades dos ingressos e serão levadas ao evento em grande estilo: de limusine.

Depois do sucesso na edição passada, o Beats Club – que em 2012 teve uma pista de dança secreta dentro do Skol Sensation – volta ainda melhor e maior em 2013.

O local será um segundo dancefloor do evento e proporcionará uma experiência sensorial que irá mexer com o público da festa. No ambiente, um dos diferenciais será o estilo musical, que contará com um line-up exclusivo, mais com o estilo deep house, compondo o lado mais edgy e trendy de Skol Beats.

Ainda sobre o Beats Club, como iniciativa inédita, a Skol levará todo o agito do espaço para outras capitais do Brasil. No mesmo dia da festa, uma casa noturna de cada cidade será “transformada” e os presentes terão uma amostra da experiência do Skol Sensation,  por meio de uma transmissão live streaming do evento.

Outro ponto alto exclusivo é a degustação em primeira mão de um novo líquido de Skol Beats. O público de todas as áreas do evento terá o privilégio de experimentar o lançamento da marca, que tem como principal diferencial o teor alcoólico de 6,9%. E não será apenas no Skol Sensation. O Beats Club de cada uma das outras cidades também vai receber a degustação em primeira mão.

O Skol Sensation também traz novidades na parte gastronômica. O jantar Diamond, será na cobertura do Shopping JK Iguatemi e contará com a assinatura do chef Felipe Bronze que  desenvolverá um cardápio especial para o jantar tendo como base a desconstrução dos ingredientes da cerveja e a cor branca.

A escolha do chef deu-se por conta do seu olhar inovador para a cozinha em integração com o DNA de do evento, que sempre está em busca de novidades.

O serviço Diamond apresenta ainda as Exclusive Tables, instaladas em uma área de acesso restrito e com vista privilegiada do Skol Sensation, onde grupos de seis amigos terão espaço reservado e serviços de garçom exclusivo durante toda a noite.

O serviço by air, mantido para essa edição estará disponível tanto para os ingressos individuais Diamond quanto para as Exclusive Tables, vendidas em grupo, nas quais os vôos exclusivos para o grupo serão feitos no sofisticado helicóptero Augusta. A compra deverá ser feita diretamente com o concierge do Skol Sensation por meio de um e-mail.

Universitários fãs do Skol Sensation terão mais um motivo para comemorar. Nesse ano, o evento abre o programa de “Experiência Skol Sensation” que selecionará estudantes para participar de toda a preparação da festa. Para participar basta ter boa vontade, ser engajado e estar disposto a aprender.

Não é necessária experiência prévia e as vagas disponíveis contemplam diferentes áreas. Ao final, o estagiário receberá um certificado de participação que comprovará a experiência de ter trabalhado no evento mais inovador do País.

“O Skol Sensation é um marco no entretenimento brasileiro. Ficamos orgulhosos de trazer para o Brasil um evento sofisticado e grandioso que mostra a cada edição a sua consolidação com o público”, conta Fernando Elimelek, presidente da Playcorp, empresa com ampla expertise em eventos e produtora do Skol Sensation no Brasil. Marcelo Flores, diretor da empresa, complementa: “Vamos surpreender a todos com uma experiência ainda mais intensa e emocionante, em uma super produção jamais vista antes”.

Consolidado como um evento de vanguarda, o Skol Sensation é reconhecido por apresentar DJs conceituados e promessas da música eletrônica de todo o mundo. As atrações serão divulgadas em breve.

Dress Code Ganha Parceiro de Peso

O evento, que é considerado referência quando o assunto é moda e estilo, é famoso por seu dress code branco e, por este motivo, trata o assunto com primor. A prova disso é que para esta edição foi escolhida a marca John John, que por ter toda a sinergia com o espetáculo, será a responsável pela plataforma “moda” do Skol Sensation.

Consumo Responsável

Como em todos os eventos de Skol, a organização manteve a estrutura para estimular o público a não ir de carro e a curtir o Skol Sensation à vontade. Em 2011 e 2012, mais de 50% das pessoas foram ao evento de metrô na ação que é sucesso desde a primeira edição. Junto com os ingressos, está incluso um passe de ida e volta para o metrô e, ao descer na estação Tietê, um ônibus gratuito estará disponível.

O público terá fácil acesso a táxis e há ainda um serviço de van em domicílio, com hora marcada (custo por conta do contratante), que irá levar e trazer os frequentadores por um preço especial. Mais de 8000 vagas de “Estacionamento Amigo” estarão disponíveis no local, que terão horário de funcionamento estendido até 16h do dia seguinte. Desta forma, o público poderá deixar o carro no estacionamento e, se quiser, pegar um táxi de volta para casa e retornar no dia seguinte para buscar o veículo.

 Esta reportagem foi publicada originalmente no Promoview, e agora no Com:Atitude, de acordo com parceria que os dois portais mantêm

Os sete pecados capitais das marcas no universo do entretenimento

A incompreensão e falta de alinhamento das empresas com os consumidores são os maiores erros na hora de ativar a marca com ações que envolvam Marketing de Entretenimento. O desejo quase inconfesso de falar com todos os públicos é o pecado mais cometido pelas empresas, mas eles não param por aí. Da campanha certa para o local errado, da fragmentação excessiva à obsessão de aparecer a qualquer custo, sete erros capitais são cometidos em maior ou menor grau.

Segundo a pesquisa “A Ressignificação da Diversão no Mundo Contemporâneo – Como as pessoas se divertem e o que as marcas têm a ver com isto?”, da Firefly Millward Brown, as relações entre trabalho e diversão mudaram, portanto, mudaram também as forma de compreendê-las, gerando um ruído na comunicação das empresas com os consumidores. A falta de compreensão leva ao primeiro pecado: a “UltraComplexidade”.

Nele, a ação é de fácil entendimento para a marca, mas complexa para o consumidor. “Muitas vezes as ativações pecam justamente por terem etapas demais, serem de difícil acesso, entendimento e terem uma complexidade intrínseca que afasta o consumidor”, explica Raquel, Vice-Presidente de Inovação em Pesquisa Qualitativa, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Firefly Millward Brown,Marketing de Entretenimento,sete pecados,marcas,Itaú,Skol Sensations

Falta de percepção
Se antes havia um padrão claro entre o que era lazer e o que era obrigação, hoje as formas se misturam. “A diversão está no cotidiano das pessoas, na comunicação das marcas, no ambiente de trabalho, de forma quase onipresente. Os novos paradigmas alteraram o conceito de lazer e os seus significados. O que antes era um direito, agora parece ser quase uma obrigação”, diz a pesquisadora.

O perigo, no entanto, é que, ainda perdidas, as marcas fiquem todas muito parecidas e não se sobressaiam umas às outras. Da mesma forma, a falta de compreensão de que o divertimento não está, necessariamente, ligado a festas e “curtição” prejudica ainda mais o destaque no cenário.

O segundo pecado, “Ausência de percepção pelo consumidor de benefício tangível”, mostra o despreparo das empresas. “Parece estranho falar, mas a ênfase excessiva em experiências sensoriais aliada a um planejamento pobre trouxe um esvaziamento de conteúdo. É comum as pessoas entrarem em um espaço de marca e saírem sem nada, para elas é como não tivesse valido. Ainda existe uma cultura de que é ficar com algo concreto, que ajude inclusive a lembrar da experiência”, diz Marina Fernandez, Diretora de Pesquisa Qualitativa, ao portal.

O terceiro erro é a “Fragmentação excessiva”, muito usual em marcas que respeitam um alinhamento global e, nas campanhas locais, ficam desconectadas do propósito inicial. As plataformas não conversam entre si e acabam confundindo o consumidor, mesmo que subliminarmente.

Deixe de lado a vaidade
O quarto pecado cometido pelas marcas é a “Obsessão pelo protagonismo”, quando uma empresa aparece mais do que deveria nas ativações. A insistência pode até ser parte da estratégia, mas se a ideia é oferecer diversão e prestar um serviço, o protagonismo excessivo incomoda. “Ninguém gosta de sentir que está sendo cobaia de um stand de vendas. Não é legal parecer que está dentro de um comercial ou de um Trumam Show ou de um merchan gigante. Discrição em alguns casos é a chave do sucesso”, afirma Raquel.

O quinto, segundo a pesquisa, é o “Desejo (inconfesso) de falar com todos”. O problema, no caso, é querer atingir um nicho e, na hora da execução, falhar por estar no lugar errado e não ter o retorno desejado. Ações em shopping centers, por exemplo, podem ser arriscadas, já que os espaços lotam e o público alvo pode não ter acesso.

Em sexto lugar está a “Desconexão com as verdadeiras necessidades e desejos do público alvo”, quando a marca tem o intuito de atingir diversos targets e acaba se desconectando do consumidor desejado. Bastante ligado ao quinto pecado, outro problema aqui são as estratégias complexas a que as marcas se propõem. “Observamos, muitas vezes, ações tão cinematográficas e difíceis de entender que passam longe do que o consumidor está realmente querendo”, diz Marina.

Contrário ao sexto, o sétimo pecado, “Acreditar piamente no mantra ‘Não gastamos um centavo com mídia’”, mostra que ainda existem muitas companhias achando que um viral no Youtube ampliará a conexão com os consumidores. “Algumas empresas acreditam que uma boa ativação na internet vai se tornar viral automaticamente. Ninguém é mais ingênuo a este ponto, mas ainda existe essa percepção. É necessário muito investimento, planejamento e muito alinhamento”.

Firefly Millward Brown,Marketing de Entretenimento,sete pecados,marcas,Itaú,Skol Sensations

As saídas
Mesmo que os pecados existam e sejam cometidos, nem todas as empresas erram nas estratégias na hora da ativação. Marcas como Skol, com a festa anual Skol Sensations, em São Paulo, ou o banco Itaú, como patrocinador do projeto Bike Rio, no Rio de Janeiro, são cases de sucesso lembrados pelas pesquisadoras.

A marca de cerveja é patrocinadora do evento de música eletrônica desde 2009 e dialoga de forma simples e objetiva com o público alvo. A estratégia do Itaú, no entanto, é ainda mais curiosa. Mesmo sendo uma instituição financeira privada, o banco entendeu o cenário de mobilidade e sustentabilidade atual e entrou como patrocinador do projeto que aluga bicicletas em formato diário ou mensal.

“A ação não tem necessariamente a ver com o banco, mas com diversão. Ele espalha o conceito e a marca, comunicando um manifesto que agrada e presta serviços ao mesmo tempo. Fica uma imagem positiva, em um tipo de ação que o consumidor gosta”, pontua Marina. O projeto deu tão certo no Rio, que foi montado em São Paulo recentemente.

A principal lição e conclusão, segundo a pesquisa, é que as empresas devem aprender a não subestimar o consumidor. “Existe um estereótipo para diversão, como se tivesse que ser extroversão ao máximo. E não é. O que o consumidor quer está nas mínimas coisas, que elas estejam conectadas ao seu dia a dia. Se divertir é conquista, status e reconhecimento. Infelizmente, as empresas não olham para isso e ainda trabalham dentro de um estereótipo inexistente. Aí está o grande problema”, reflete Raquel.

*Por Isa Sousa. Esta matéria foi publicada originalmente no portal Mundo do Marketing, e agora no Com:Atitude de acordo com parceria que os dois portais mantêm.

CVC anuncia acordo exclusivo com o Rock in Rio

Atenta às oportunidades no segmento de turismo e em áreas complementares como a de entretenimento, que promovam experiências de lazer aos brasileiros, a CVC anuncia parceria com o Rock in Rio, o maior evento de música e entretenimento do mundo.

Com este acordo, a CVC se torna “operadora de viagens exclusiva do Rock in Rio no Brasil” das temporadas “Rock in Rio Lisboa 2012”, “Rock in Rio Madri 2012” e “Rock in Rio – Rio de Janeiro 2013”, e passará a oferecer com exclusividade, ainda este ano, pacotes de viagens completos, que já incluem transporte aéreo, hospedagem, acompanhamento e assistência de guia, ingressos e traslados terrestres até os locais dos festivais em Portugal, Madri e no Rio de Janeiro.

Para Rodolfo Medina, vice-presidente Comercial e de Marketing do Rock in Rio, certamente será muito bom para os fãs do Rock in Rio contar com a expertise da CVC na operação e comercialização de produtos e serviços turísticos e a sua ampla rede de distribuição, que conta com 700 lojas exclusivas e oito mil agências multimarcas credenciadas no Brasil. O acordo permitirá que um maior número de brasileiros tenha acesso a roteiros de viagens exclusivos e organizados para o Rock in Rio, e que podem ser parcelados em até 10 vezes sem juros.

A novidade também traz, aos agentes de viagens de todo o Brasil, um novo produto com grande potencial de vendas e com a credibilidade da marca Rock in Rio.

“A oportunidade de se unir ao maior evento de música e entretenimento do mundo está em sintonia com a vocação da CVC em realizar o sonho de viagem de milhares de brasileiros”, destaca Fabio Godinho, vice-presidente Comercial e de Marketing da CVC, reforçando que, somado a isso, como resultado deste acordo, a CVC e o Rock in Rio agora têm a possibilidade de oferecer, aos brasileiros, experiências de viagens únicas no universo da música e do entretenimento.

A operadora CVC já está trabalhando no desenvolvimento destes pacotes para o Rock in Rio Lisboa 2012 (que acontecerá nos dias 25 e 26 de maio e 1, 2 e 3 de Junho), Rock in Rio Madri 2012 (nos dias 29 e 30 de Junho e 5, 6 e 7 de Julho) e Rock in Rio – Rio de Janeiro 2013 (no mês de Setembro). A previsão é que estejam disponíveis aos clientes nas próximas semanas, em qualquer loja ou agência credenciada CVC do Brasil.

Em setembro de 2011, o Rock in Rio reuniu 700 mil pessoas que assistiram 160 atrações musicais, que juntas produziram mais de 100 horas de diversão. Neste ano, mais de 200 milhões de internautas de 200 países acompanharam o festival por meio do site oficial e das ações nas redes sociais em toda internet.

Outro dado interessante é que, segundo a Secretaria de Turismo do Rio de Janeiro (Riotur), o festival foi responsável por 100% da ocupação dos apartamentos de toda a rede hoteleira carioca no período.

Em breve, um hotsite entrará no ar, no site da CVC, com mais detalhes sobre os produtos exclusivos.

 Esta reportagem foi publicada originalmente no Promoview, e agora no Com:Atitude, de acordo com parceria que os dois portais mantêm.

Lollapalooza Brasil terá patrocínio da Heineken

Heineken fechou o patrocínio do Lollapalooza Brasil. O festival inédito no País passa a fazer parte da lista de mais de 100 grandes festivais ao redor do mundo que possuem apoio da marca, que está presente em eventos como Coachella, nos EUA; FIB, na Espanha; Oxegen, na Irlanda e nos EUA; e Jammin, na Itália.

Dessa forma, reforça sua imagem como a cerveja oficial dos maiores e mais importantes festivais de música do planeta. O Lollapalooza faz sua primeira edição no Brasil, no Jockey Clube de São Paulo, nos dias 07 e 08 de abril de 2012.

“Com o patrocínio ao Lollapalooza, a Heineken passa a estar à frente dos três maiores festivais do País. Em eventos como este, além oferecer a cerveja Heineken a centenas de milhares de pessoas por meio da melhor experiência de consumo, ainda temos a possibilidade de proporcionar outras experiências ao público consumidor por meio das ativações da marca”, afirma Patrick Fló, gerente da marca Heineken no Brasil.

“Além disso, o Brasil passa a ser um importante destino no calendário dos grandes festivais mundiais. Exatamente por isso foi o lugar escolhido para o lançamento mundial da nova plataforma musical da marca, o Human Equalizer, que aconteceu durante o Rock in Rio, e comprova que a marca, assim como os jovens adultos da atualidade, transita pelos diferentes estilos e gêneros musicais”, completa o executivo.

“A GEO está muito feliz em anunciar mais um patrocinador do Lolla Brasil. É extremamente importante poder contar com o reconhecimento de grandes marcas desde a primeira edição do Festival que entrará para o calendário de eventos da cidade de São Paulo. Até o final deste mês vamos divulgar outros patrocinadores, assim como o line-up e a pré-venda”, comentou Marcelo Frazão, diretor executivo de Entretenimento da GEO Eventos, promotora do Lollapalooza no Brasil.

O Com:Atitude abordou a atitude da Heineken no entretenimento em nosso especial sobre o Rock in Rio aqui.

 Esta reportagem foi publicada originalmente no Promoview, e agora no Com:Atitude, de acordo com parceria que os dois portais mantêm.

Planeta Terra aposta em ações sustentáveis

Além de mais de dez horas de muita música e agito, o Planeta Terra Festival 2011 também honra o nome do evento e tem uma grande preocupação em diminuir o impacto ambiental que grandes festas causam.

Não é porque está na moda realizar ações ambientais: é uma necessidade real. O evento se preocupa com o planeta, e quem curte o festival também ajuda a cuidar do meio ambiente.

Para isso, o Terra conta com a HP como patrocinadora oficial de todas as ações de sustentabilidade. A ideia é atrelar à marca do festival uma preocupação com o planeta que dure mais que os shows e seja ligada à vida das pessoas que participam do evento.

Durante os shows serão realizadas diversas ações com o intuito de compensar o impacto causado por toda a estrutura logística do evento e seguir o projeto de neutralização de CO₂.

No local das apresentações, haverá um centro de triagem e reciclagem de resíduos aberto ao público. Além disso, serão distribuídos oito mil coletores de bolso que deverão ser usados para a dispensa de bitucas de cigarro, papéis de bala e o que mais o público precisar. Já os lixos serão separados, tanto na área comum como no camarote vip.

A realização do trabalho no festival será feita pela ONG Os Recicleiros, que atua no desenvolvimento de trabalhos socioambientais visando a redução do impacto socioambiental aliada a benefícios sociais para as comunidades participantes do projeto e para o público presente. O grupo já participou das outras edições do Planeta Terra.

Enquanto os fãs curtem o festival, terá gente aproveitando a oportunidade para trabalhar. Parte da mão de obra responsável pelas ações de sustentabilidade vem de iniciativas sociais.

Assim como nos anos anteriores, a meta é reciclar 100% dos resíduos gerados durante o evento e, para isso, é importante contar com a colaboração de todos.

*Esta reportagem foi publicada originalmente no Promoview, e agora no Com:Atitude, de acordo com parceria que os dois portais mantêm.

Espaços gastronômicos fortalecem interação das marcas com seus públicos

Uma marca que está bem alicerçada em sua identidade, com valores funcionais de qualidade e gestão bem estruturada chega até determinado ponto de associação simbólica e afetiva com os seus consumidores. Como afirmou a especialista em marca, Clotilde Perez, em artigo para o Com:Atitude, “a imagem de uma marca é a resultante de um processo cognitivo que leva a um comportamento de adesão, indiferença ou rejeição. E este processo é orgânico, o que implica em ações contínuas para o fortalecimento dos vínculos de sentido”.

A criação de pontos de contato capazes de desenvolver a relação entre a marca e seu consumidor é um ponto fundamental na estratégia de fortalecimento do seu sentido simbólico. As pessoas não aderem às marcas e seus conceitos de forma passiva e unidirecional. Hoje, essa interação se dá de maneira plural e coletiva. Neste contexto, algumas marcas criaram espaços interessantes de relacionamento, os restaurantes, cafés ou bares: locais que colocam a marca como fornecedora de experiências e momentos agradáveis.

Existem alguns exemplos de marcas que fazem essa ativação: Bohemia, Antarctica, Brahma, Dolce & Gabbana, Nestlé, dentre outras. Cada um desses espaços entrega um valor e cria uma relação de proximidade da marca com seu público. É, também, uma maneira de expressar suas atitudes.

Marcas de luxo como Roberto Cavalli, Giorgio Armani, Dolce & Gabbana e Trussardi, por exemplo, criaram seus espaços gourmet com restaurantes e cafés na Europa. A Antarctica abriu seu Bar da Boa, no bairro da Lapa no Rio de Janeiro e o Bar Brahma em São Paulo já é um reduto popular.

 Mas além desse tipo de extensão de marca, existe a possibilidade de promoção de ações específicas como a encabeçada pela Bohemia, que apoia o Comida di Buteco, concurso gastronômico que acontece no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia e Goiás e que elege os melhores petiscos que combinam com as variações da cerveja da marca. O Boteco Bohemia é outra ação da marca, com a montagem de bares durante a temporada de verão na praia paulistana da Riviera de São Lourenço e em Campos do Jordão, no inverno. Outro exemplo: por meio da marca Nespresso, a Nestlé criou suas boutiques-bar em São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas e Brasília. O ambiente requintado e luxuoso tangibiliza os atributos da marca.

Outra forma de ativação é a implementação de um evento de gastronomia com a união de diversas marcas, como o Paladar Cozinha do Brasil, realizado pelo Estadão e com patrocínio – na edição deste ano – da Faculdade Estácio, Tramontina e Sedex. O festival conta com aulas, palestras e degustações com diversos chefs renomados como Alex Atala, Helena Rizzo e Carla Pernambuco, por exemplo.

Apesar desses casos, ainda existem alguns desafios na expansão de espaços de entretenimento e gastronomia. Um deles é a consistência, capaz de tornar a ação um espaço de convívio certeiro do consumidor com a marca, sem o risco de tornar-se pontual e somente uma lembrança vaga. Outro desafio está na expansão destes espaços para as classes emergentes no país. A maioria dos casos citados pertencem a marcas luxuosas e a incorporação desta camada ávida por viver experiências interessantes representa um valor importante para a marca trabalhar. De qualquer forma, essas ativações devem ser planejadas conforme o alinhamento à identidade da marca, para a geração do devido reconhecimento de seus públicos e ampliação de seu valor simbólico.

Ambev promove ações para intensificar experiências com a marca Brahma


brahma, copa do mundo, torcida, experiência, atitude de marca
Fim de tarde no Vale do Anhangabaú: Público assiste a jogo da Copa no Espaço Torcida Brahma

O passo mais importante para atrelar a cerveja Brahma à Copa do Mundo da África foi dado ainda em 2009, quando a Ambev anunciou que a marca seria patrocinadora oficial do Mundial. Tratava-se de um reforço no já expressivo investimento feito no futebol pela empresa, que desde a Copa de 1994 é patrocinadora da Seleção Brasileira.

Após o anúncio, vieram as campanhas para a televisão, apoiadas no conceito Brahmeiro, o lançamento de um novo portal este ano, concursos e ações interativas na web. Agora, em plena Copa, estão sendo realizadas as ações que proporcionam ao público experiências presenciais com a marca.

A estrutura montada no Vale do Anhangabaú, “batizada” de Torcida Brahma, intensifica experiências. Promove interação com o público ancorada na causa “torcer pelo Brasil na Copa do Mundo”. É um espaço diretamente associado à atitude esportiva da marca, que é realizada pelos patrocínios à Copa e à Seleção.

O Com:Atitude esteve no local e conferiu a estrutura.

O espaço principal é para assistir aos jogos. Um telão de LED com 76 m² com som com 80 mil watts de potência transmite todas as partidas. E até mesmo um pouco empolgante Argélia x Inglaterra atrai um número considerável de espectadores. Aparentemente, o público dominante era composto de pessoas que trabalham na região central da cidade e que podem corresponder ao perfil do “brahmeiro”, como aponta Marcel Marcondes, diretor de Marketing da Brahma.

“Nossa intenção é incentivar ainda mais a paixão pelo futebol, a paixão que o torcedor tem pela camisa da Seleção, pois os valores da marca, do ‘brahmeiro’, que é o brasileiro trabalhador que batalha pelos seus sonhos com garra, alegria e determinação, são também os valores que permeiam o futebol”, afirma o executivo.

Cinema 4D é uma das atrações gratuitas que funcionam até 11/07 na estrutura Brahma

Durante os jogos do Brasil, o universo se amplia, e trabalhadores da região são apenas uma parcela dos milhares de espectadores. Na partida de estreia da Seleção cerca de 50 mil pessoas estiveram no local, segundo dados Ambev.

Ao lado do telão está instalado o “cinemotion”, um simulador em 4D que permite ao visitante ter sensações de frio, calor e vento ao exibir filme de seis minutos que conta a história do futebol e do Brasil nas Copas do Mundo. A entrada é organizada como nos parques de diversão. Fila ao ar livre e número limitado de espectadores a cada sessão.

Turma do Guaraná também tem espaço

Num nível abaixo da calçada, a Arena Guaraná Antarctica – a marca também assina o patrocínio à Seleção -, abriga mesas de futebol de botão, de pebolim, tevês de plasma com games como Fifa Soccer e um gramado sintético onde há instrutores disponíveis para ensinar embaixadinhas aos visitantes. Tudo gratuito.

O estudante de Comércio Exterior Anderson Monteiro, 21 anos, é um dos exercem a função de instrutor diariamente, das 10h às 18h. “O movimento aqui é intenso o dia inteiro, e o público dominante deve ter entre 15 e 20 anos”, afirma ele, corroborando que o “espaço do Guaraná” conseguiu atrair os jovens, público-alvo.

Assista ao vídeo Torcedor Guerreiro