A consistência de uma atitude de marca não passa apenas por seu planejamento e gestão, mas também pela história contada aos públicos em torno dos seus resultados, sobretudo em mercados de grande alcance. Neste sentido, a líder global da prática de Consumo da Edelman, Christina Smedley, traçou alguns pontos importantes para as marcas se comunicarem melhor em um ambiente cada vez mais fragmentado e complexo. As ponderações estão contidas no relatório 11on11, que reúne artigos nos quais essas tendências de comunicação são conectadas a comportamentos de consumo. Veja, abaixo, algumas questões importantes do estudo:

1)  Histórias de marca: mais do que lançar campanhas pontuais, uma atitude precisa de uma narrativa consistente para ganhar relevância dos públicos da marca. É preciso planejar uma história atrativa, que seja possível de ser relacionada ao cotidiano não só dos consumidores, mas de todos os stakeholders da marca.

2) Amplo espaço: como exemplificado em reportagem que fizemos no Com:Atitude sobre a plataforma Ecomagination, da GE, a utilização de diversas ferramentas de comunicação é essencial para um alcance maior dentre os públicos. Deve existir uma igualdade estratégica dos meios, seja mídia tradicional (grandes jornais e revistas – mainstream); mídia híbrida (versão online da mídia tradicional e blogs ou noticiários criados a partir da web); mídias sociais (redes criadas para compartilhamento em tempo real, como Twitter e Facebook), ou mídias proprietárias (aplicativos, sites e/ou documentos institucionais de uma marca ou instituição).

3) Integração das narrativas: além de multiplicar o conteúdo da marca por diferentes mídias, é preciso integrá-las, ou seja, um fio condutor deve se sobrepor às diferentes plataformas.

4) Caráter colaborativo: a marca é uma facilitadora da criação espontânea de conteúdo, que incentiva a participação, mas não a interrompe ou cerceia. As plataformas criadas devem contemplar esse aspecto independente da comunicação.

Por fim, Christina alerta para as novas capacidades que os profissionais de comunicação terão que desenvolver nos próximos anos, baseadas em características multifuncionais e criativas. Para visualizar o relatório completo, clique aqui.