As atitudes da Fundação Telefônica voltadas para o desenvolvimento social e educacional têm estreita relação com o negócio da marca espanhola, ao colocar a tecnologia como indutora de suas ações. Um exemplo desta atuação está no lançamento ocorrido hoje de seu primeiro edital, que selecionará projetos culturais que beneficiem crianças e adolescentes por meio da democratização do acesso às ferramentas digitais. As inscrições estão abertas até o dia 30 de junho pelo site oficial.

“O foco da instituição é contribuir para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes e nós sentíamos falta de uma ação que, por meio do acesso ao conhecimento, pudesse facilitar o consumo de bens culturais, um elemento essencial para a formação desse público”, afirmou Sergio Mindlin, diretor-presidente da Fundação. Projetos que integram a tecnologia ao compartilhamento de informações e conhecimento estão no escopo do programa “Arte e Tecnologia”, um dos pilares da Fundação.

“As tecnologias da Telefônica são a diferença. Em tempos de confluência entre cultura digital e educação, temos a chance de nos alinharmos a esta tendência e darmos significado a este progresso tecnológico”, disse Gabriella Bighetti, gerente de projetos da Fundação ao Com:Atitude em reportagem sobre atitudes na educação. Ela reforça como o centro do negócio da empresa é o norteador de suas atitudes, o que contribui para a valorização da percepção da marca.

Iniciativas inovadoras em termos de linguagem, interatividade, criatividade e forma de distribuição de conteúdo – com foco no público infantojuvenil - serão critérios avaliados pela comissão do edital.

Pró-menino: programa social da Fundação Telefônica

Outros programas da Fundação são o EducaRede, um portal voltado a instituições, alunos e escolas da rede pública, o Pró-Menino, direcionado à garantia dos direitos de crianças e adolescentes e o Voluntários Telefônica, que trabalha no engajamento da cultura interna da empresa para ações sociais.