Por Leticia Born

Emprestar suas tecnologias para a viabilização de projetos que beneficiem a sociedade e promovam a melhoria da qualidade de vida. Essa é a premissa do recém-lançado Ideas for Good, programa da Toyota baseado na apropriação das tecnologias da empresa por parte do público para usos que vão além da dimensão automobilística. Os consumidores poderão inscrever seus projetos até o dia 28 de fevereiro e os vencedores terão direito a uma reunião com especialistas na área de criação da empresa para a execução do projeto.

Ideas for Good pretende impulsionar inovação e tecnologia ao engajar o público

“Estamos mostrando um lado importante da Toyota, ao engajar o público de uma maneira que nunca fizemos”, afirmou Bill Fay, VP de marketing da  montadora. “Estamos jogando luz à melhoria da qualidade de vida, encorajando o público a nos ajudar a identificar as próximas ideias ‘for good’”. Serão cinco projetos ganhadores, um para cada categoria de tecnologia da Toyota. Uma comissão julgadora – cuja composição ainda não foi revelada – escolherá 25 projetos. A decisão final será dos internautas, que, a partir de abril, poderão selecionar os cinco contemplados.

As tecnologias da Toyota que fundamentam a iniciativa estão presentes na etapa de teste dos veículos e nos próprios modelos:

Modelo Humano para a Segurança (THUMS, na sigla em inglês): a tecnologia é uma simulação avançada capaz de medir a resistência dos veículos.

Sinergia híbrida na direção (HSD, na sigla em inglês): converte energia em eletricidade, com baixa emissão de gases estufa.

Sistema de ventilação solar: O modelo de veículo Prius oferece esse sistema, que deixa a temperatura do ar interno próxima à temperatura do ambiente externo, mesmo quando o veículo está exposto diretamente a raios solares.

Painel de toque: Um painel com sistema touchscreen possibilita os condutores dos veículos a controlar a música, temperatura  e outras funções, sem que tiremas mãos do volante.

Sistema de estacionamento guiado (APGS, na sigla em inglês): Presente também no Prius, o sistema utiliza sensores nas partes dianteiras e traseiras do veículo para detectar espaços onde é possível estacionar.

Algumas dessas tecnologias já estão sendo testadas fora de seus usos originais, como por exemplo o THUMS, usada na Universidade Wake Forest, na Carolina do Norte, Estados Unidos, para avaliar os efeitos dos ofensivas em jogadores de futebol americano, e também pela Nascar (série de automobilismo norte-americana) para analisar os impactos da alta velocidade sobre os carros.

Outras ações da Toyota

A inovação e a tecnologia são pilares importantes da Toyota, refletidos no desenvolvimento deveículos flex e híbridos, categoria em que se destaca o Prius. Até o fim de 2012, serão aproximadamente onze modelos com tais características. O lançamento de carros com fontes alternativas de energia visa limitar o consumo de petróleo e reduzir as emissões de dióxido de carbono.

Mas esses dois valores não são os únicos atributos da Toyota tangibilizados em suas atitudes. A empresa japonesa também conduz ações que permeiam as o campo socioambiental. Presente em 170 países e com mais de 285 mil colaboradores, a Toyota instituiu um Guia de Princípios. Dentre eles, estão o respeito ao meio ambiente e o desenvolvimento econômico e social das comunidades em que as afiliadas estão localizadas.

Fora as políticas de responsabilidade ambiental nos processos de fabricação dos veículos, em 2009, foi criada a Fundação Toyota do Brasil, que centraliza as atitudes da empresa. A recuperação da Mata Atlântica e a parceria com o Projeto Arara Azul são as principais ações. Além disso, com a fábrica da linha de veículos Corolla em Indaiatuba (SP), o centro de distribuição de veículos em Guaíba (RS) e a unidade de produção de peças em São Bernardo do Campo (SP), foram diversos projetos sociais implantados junto às comunidades de tais municípios. Um exemplo é a criação, em 2008, do Parque Corolla e do Centro de Referência da Assistência Social, CRAS, em Indaiatuba, que atende a 1,2 mil pessoas por mês.

A fundação da marca nos Estados Unidos, a Toyota USA Foundation, por sua vez, tem foco na educação infantil e suas ações estão centradas no investimento em projetos já existentes. O montante aplicado é de US$ 2 milhões ao ano.

Crowdsourcing como ferramenta de atitude de marca

O programa Ideas for Good está alinhado a uma estratégia já utilizada por outras empresas, que combina a colaboração do público com as atitudes das marcas. Além da ação da Toyota, alguns exemplos reforçam este cenário. A Pepsi, com o sucesso de seu Refresh Project, abriu espaço para que o público inscrevesse projetos ligados à saúde, meio ambiente e educação e investiu mais de US$ 20 milhões nas propostas eleitas pelos internautas. A marca pretende relançar o mesmo programa em 2011, porém em âmbito global. A General Electric, por meio da plataforma Ecomagination, também procura engajar o consumidor no apoio a programas sustentáveis. E a Tecnisa, construtora brasileira, já reconhecida por elaborar estratégias online e por seus programas sociais, lançou um portal exclusivo para a cocriação relativa às mudanças nos serviços da empresa: o Tecnisa Ideias. Para a construtora, a tática oxigeniza as estratégias tradicionais e concretiza boas ideias que ficariam somente no campo aspiracional.

De acordo com a pesquisa Good Purpose, apresentada no Brasil pela Edelman Significa, 84% dos brasileiros acreditam na colaboração entre indivíduos e empresas a favor de propósitos socialmente relevantes. Ou seja, além das causas já estarem presentes nas estratégias de negócio das marcas, elas também precisam se encontrar com as ideias de seus consumidores em ambientes colaborativos. A inclusão do público na criação de novos projetos, no reforço às causas das marcas, é um fator de relevância e visibilidade.